domingo, 1 de maio de 2011

Nós. Só eu. Só você. Acabou

Pego as cartas, as fotos, os presentes, a aliança, o urso, a caixa e me lembro de quando éramos felizes. Lembro que nos amávamos. Lembro que você disse isso. Lembro do juramento de eternidade. Lembro que o ciúme que existia era só para mostrar que nos importávamos um com o outro, porque, realmente, não importava mais ninguém na nossa vida. Lembro que eu podia ficar horas ao seu lado sem dizer nada, sem mexer e você dizia "tá tudo bem, amor?" e eu não dizia nada e você "estou aqui ao seu lado pra tudo", e nesse momento nos entendíamos só pelo olhar. Lembro que existia um plano de nos casarmos e de termos dois filhos, uma menina e um menino. Lembro que não conseguíamos ficar longe um do outro nem por um dia. Vivíamos por nós dois. Esquecíamos o mundo quando estávamos juntos. As promessas, os juramentos, as certezas que tínhamos e passávamos um para o outro eram de verdade. Eram do momento. Eram para o sempre daquele dia, daquela hora, daquele mês. Eu adorava a sua mão, você adorava os meus olhos. Eu odiava o seu futebol na sexta-feira e você odiava que eu ficasse anos conversando com a sua irmã e com a sua mãe. Você dizia que gostava de Doritos e eu amava a Ruffles cebola e salsa. Adorávamos coca-cola. Você tomava cerveja e eu sentia nojo. Era bom estarmos juntos, sozinhos, com nossas maneiras de pensar iguais e diferentes. Porém, nos últimos momentos nossos, e os mais doloridos, você começou a odiar tudo, desmentir tudo, não gostar de nada, não me entender, não me olhar, se distanciar. E eu comecei a pensar: será mesmo que era tudo mentira? Nos afastamos tanto que o término veio quase que naturalmente. Já não sentia mais o mesmo carinho por você e você não suportava mais olhar pra mim. Descobrimos juntos que o conto de fadas existiu e acabou, assim como o nosso amor. E no lugar da compreensão, do respeito, veio a mágoa, a raiva. Choramos. Eu sei que você também chorou depois de um tempo. Sentimos saudade um do outro. Voltamos muitas vezes. Nos encontrávamos sem ninguém saber. Todos juravam que tinha acabado, eu também, mas estávamos sempre ali. Estávamos ali pro último beijo, último abraço, último sono, último suspiro de: fico melhor ao seu lado. E como tudo tem um fim, o fim dos últimos nossos acabou também. E hoje eu sei que o que eu vivi foi de verdade, foi carinho, talvez não amor, mas foi nosso, foi eu e você, foi coração, foi alma, foi corpo, foi o momento que nunca vamos esquecer. Acabou e hoje vemos que tinha que ter sido assim. Não tem volta, não tem mágoas, não tem saudade dolorida, não tem o casal vinte que todos falavam. Agora temos uma vida diferente, com pessoas diferentes, com sentimentos diferentes. Fizemos parte da vida um do outro por muito tempo. E vou estar na sua memória e você na minha pra sempre como o primeiro amor de ambos. Sem dor, resta o fim. O fim de tudo que passou e o começo de outro tipo de vida. Eu e você nunca mais seremos nós, assim como nós não ser mais sinônimo de felicidade. Te guardei, você me guardou. Obrigada e por nada. Nós. Só eu. Só você. Acabou.

2 comentários:

  1. Melissa Peres Ferreira1 de maio de 2011 13:12

    Camilla, cada dia você me surpreende mais, cada vez que toca nesse assunto que só desrespeita a você e ele, tem uma crescimento interno, como se fosse estou sobrevivendo tudo isso sem rancor, simplemente FELIZ com aqueles que me AMAM de verdade. Acho que posso acrescentar que um pouco dessa recuperação se deve ao grupo que não é exatamente PERFEITO, mas que cada um com o seu DEFEITO, ajudou a construir essa NOVA Camilla. Agradeço por deixar eu fazer parte desse momento tão ESPECIAL para você!De sua MEDUSA favorita!

    ResponderExcluir
  2. Ah, Medusinha, que linda você como sempre! Claro que vocês, meu grupo perfeito, me ajudaram a chegar nesse estado tão bem, tão feliz e tão realizada que estou. Afinal, quem somos nós sem os nossos amigos de verdade? Obrigada por tudo! s2

    ResponderExcluir